Consciência ambiental cresce, mas ainda enfrenta desafios

Apesar dos avanços na mudança de comportamento da sociedade, questões ambientais ainda geram debates e buscas por soluções eficientes

 

O Planeta chega ao Dia Mundial do Meio Ambiente em situação crítica. Já se foram 42 anos desde a Conferência de Estocolmo, onde a data de 5 de junho foi escolhida para chamar atenção da população para os problemas ambientais e a importância da preservação dos recursos naturais. Mas de lá pra cá, as notícias em relação à degradação do meio ambiente ainda são recorrentes.

Apesar dos fatos serem em sua maioria negativos, esse cenário vem se alterando aos poucos. A preservação do meio ambiente tem se tornado cada vez mais foco de preocupação social. A mudança dos hábitos do brasileiro em relação à natureza aumentou 30% nos últimos 15 anos, segundo dados do Ministério do Meio Ambiente.

O indicador mais relevante desta transformação está no número de pessoas que há alguns anos, não sabiam mencionar sequer um problema ambiental na sua cidade ou no seu bairro. E que hoje em dia, mais conscientes, reivindicam ações de melhorias em favor da preservação da natureza.

Campanhas são criadas para preservação e consumo consciente da água, desmatamento, poluição do ar, mas ainda não dão a devida atenção a um produto que é extremamente prejudicial ao meio ambiente: o OLUC (Óleo Lubrificante Usado e Contaminado).

Segundo o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), a única forma para retirar do ecossistema esses resíduos altamente poluentes e dar a destinação correta é o rerrefino.

Com seus serviços, a Lubrificantes Fenix segue a tendência de conscientização e abre espaço para se trabalhar com a sociedade, no sentido de levar mais conhecimento e colocar questões de sustentabilidade na pauta do dia.

Situada em Paulínia/SP, a empresa retira os resíduos sólidos, emulsões oleosas, OLUC de indústrias, empresas de médio e pequeno porte e postos de combustíveis, garantindo um destino mais nobre, encaminhando para a reciclagem e ou rerrefino de todos estes resíduos.

Segundo Rodrigo Domene, gerente geral da Fenix, a rigorosa fiscalização na troca e coleta de óleos lubrificantes industriais e automotivos é essencial para garantir a qualidade do solo. “Quando vazado ou jogado no solo, o OLUC provoca a infertilidade do terreno, inutilizando-o tanto para a agricultura quanto para edificações”, explica.

Por isso, a Fenix mantém diálogo permanente com os colaboradores e com a comunidade para encorajar uma cultura ambientalmente sustentável e incentivar o descarte correto do óleo contaminado.

 

Sobre a empresa

 Lubrificantes Fenix Ltda: referência no segmento há mais de 27 anos, a empresa desenvolve, com alta tecnologia e precisão, óleos lubrificantes que oferecem soluções para diversos sistemas e equipamentos industriais, atendendo as especificações técnicas do mercado e as necessidades particulares de cada cliente.

 

Prestação de serviços: especialistas credenciados e equipamentos modernos realizam periodicamente a análise laboratorial, o acompanhamento e o gerenciamento da utilização do óleo lubrificante. Caso exista a necessidade de intervenção no sistema, é feito o processamento in loco através de uma unidade móvel, que não interrompe o processo produtivo do cliente. Assistência técnica pós-venda ágil e flexível para suprir com excelência a demanda do mercado.

 

Ecofenix: com frota de caminhões autorizada pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e ANP (Agência Nacional do Petróleo), a marca possui sistema de gestão ambiental certificado pela norma ISO 14.001 e realiza a coleta, o transporte e o rerrefino do óleo lubrificante usado. A Ecofenix é a única autorizada a coletar resíduos sólidos e líquidos, e essa coleta e destinação final é realizada através de um veículo híbrido patenteado pela empresa.

Artigos Relacionados

Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *